Problematizando a Pré-história

Qual o significado do conceito Pré-história?

O prefixo Pré (antes de) subtende uma fase ocorrida antes da História. Mas, ao contrário do significado da expressão que nomeia o período inicial da história humana, a Pré-História não se trata de um período anterior à História. Este termo foi cunhado por historiadores do século XIX, que acreditavam ser impossível julgar o passado por documentos que não fossem escritos.

Mas para o estudo da Pré-história, não há apenas as fontes escritas. Este período conta com um riquíssimo aparato documental que relata as descobertas e costumes do homem. Além disso, nos traz à tona uma série de questões de interesse atual, como a que se refere à relação do homem com a natureza. A Pré-história trata-se de um período que vai da origem do homem até a invenção da escrita, por volta de 4000 a.C. Nesse sentido, este período poderia ser chamado não de pré-história, mas de pré-escrita, ou seja, trata-se da “história da humanidade ocorrida antes da invenção da escrita”.

Os europeus, no século XIX, criaram as oposições binárias como ágrafos X letrados; bárbaros X civilizados; atrasados X desenvolvidos etc. Estes binários estiveram ligadas à ideia simplista da Pré-história, as quais, frequentemente, não consideraram, nem valorizaram, a diversidade das expressões culturais. Por essa visão, os europeus são considerados os “civilizados”, enquanto os demais (o outro) são os bárbaros, não-letrados etc. Usando estes conceitos, os europeus, no inicio do século vinte, impuseram o chamado imperialismo, e dominaram outros países dizendo que eram uma raça superior e que em missão civilizatória, iriam levar aos atrasados sua cultura, sua religião, sua cor, seu sistema econômico etc, considerados superiores…

Costuma-se, também, relacionar a existência de seres humanos junto com animais pré-históricos. Isto de fato aconteceu? Na verdade, essa associação que muitas vezes vemos em desenhos animados e filmes, por exemplo, não apresenta nenhum respaldo científico. Pessoas humanas, dinossauros e congêneres não coabitaram simultaneamente os mesmos espaços, existindo entre eles uma diferença de dezenas de milhões de anos.

Origem do homem

A origem da humanidade é objeto de estudos de duas teorias principais: evolucionismo e criacionismo.

A teoria evolucionista – de Charles Darwin – afirma que a Terra surgiu por volta de 4,5 bilhões de anos atrás, como resultado de uma grande explosão cósmica. E há 3,5 bilhões de anos desenvolveram-se em nosso planeta, condições para o surgimento das primeiras formas de vida.

Nossos primeiros ancestrais conhecidos surgiram há 4,2 milhões de anos, como resultado de uma evolução biológica de um tronco antigo de primatas:

-  Os Australopithecus (macaco do sul) – primata encontrado em 1924, na África do Sul, tinham feições diferentes de nós seres humanos modernos: eram baixos, peludos e encurvados.

-  O Homo sapiens – também chamado “Cro-Magnon” (encontrado em 1868, na França), espécie da qual fazemos parte, surgiu por volta 100 mil anos atrás, e com grande capacidade de adaptação ao meio ambiente. Grupos do Homo sapiens moderno ocuparam todos os continentes, chegando à América e à Oceania.

Esquema, representando o processo evolucionista.

A teoria criacionista é a teoria que defende que o Universo e o homem foram criados por Deus, como relata o Gênesis, primeiro livro da Bíblia. O homem já foi criado “completo” dotado de razão, como o é hoje, sem passar pelo processo evolutivo.

A Criação de Adão, obra de Michelangelo, século XVI.

Falaremos mais sobre estas duas teorias num capítulo à parte.

Divisões da Pré–história

Os historiadores costumam dividir a Pré–história em três grandes fases ou idades:

1.  Paleolítico, ou Idade da Pedra Lascada:

-  periodo que foi do surgimento da humanidade até cerca de 18 mil anos atrás;
-  neste periodo, o homem vivia da caça, pesca e coleta, ou seja, era um extrativista e predador;
-  viva em grupos e refugiavam-se em cavernas;
-  há domínio do fogo: este foi maior avanço técnico deste período, fundamental para a sobrevivência humana;
-  surgem as primeiras manifestações artísticas: adornos para o corpo, estatuetas femininas, pinturas de animais nas paredes das cavernas (pintura rupestre), apresentando cenas de caça;
-  o homem paleolítico crê na existência da vida após a morte.

Pinturas rupestres, fonte de informação sobre este período.

2.  Neolítico, ou Idade da Pedra Polida:

-  periodo que foi de aproximadamente 18 mil anos atrás até 5 mil antes de Cristo;
-  há desenvolvimento de melhores técnicas (armas e instrumentos) agrícolas (como o arado de tração animal, por exemplo) e de caça, que possibilitam ao homem deste período, maior domínio sobre a natureza;
-  surgimento da agricultura, domesticação e criação de animais;
- surge a chamada Revolução Neolítica:
   => diminuição das práticas da caça e da coleta, cada vez mais difíceis;
   => a agricultura e o consequente processo de sedentarização do homem se estabelecem gradualmente;
   => a domesticação animal se tornou uma prática usual entre os grupos humanos que se formavam nesse período;
   => novas técnicas de domínio da natureza e dos animais;
   => a formação de grandes aglomerados populacionais.
Nomadismo X Sedentarismo:
O nomadismo consiste em uma prática onde um homem ou grupos humanos vagueiam por diferentes territórios. Nesse processo de locomoção pelo espaço, essas comunidades utilizam-se dos recursos oferecidos pela natureza até esses se esgotarem. Com o fim desses recursos, esses grupos se deslocam até encontrarem outra região que ofereça as condições necessárias para a sobrevivência. Durante o Paleolítico e parte do Neolítico, o nomadismo foi uma prática comum entre os primeiros grupos humanos. Com as mudanças climáticas e o desenvolvimento das primeiras técnicas agrícolas, o nomadismo cedeu espaço para o aparecimento de comunidades sedentárias originárias das primeiras civilizações da Antiguidade. Sedentarismo é um termo aplicado à transição cultural da colonização nômade à permanente. Na transição para o sedentarismo, as populações seminômades passaram a desenvolver acampamentos fixos. Com isso, o sedentarismo se tornou possível com novas técnicas agrícolas e pecuárias. O desenvolvimento do sedentarismo aumentou a agregação populacional e levou à formação de vilas, cidades e outras formas de comunidades, próprias já da Idade dos Metais.Réplica de habitações típicas do final do Neolítico.

Réplica de habitações típicas do final do Neolítico.

Outros avanços do período Neolítico:
- arado de tração animal; divisão de tarefas, invenção da roda;
-  formação de comunidades (clãs e tribos): construção de habitações è de nômade a sedentário;
- surgem foices, lâminas cortantes, enxadas, machados e centenas de utensílios agrícolas;
- uso do barro para fazer potes e jarros de cerâmica;
- fazem-se jangadas, canoas e barcos è começam a navegar
- melhoria dos trajes; roupas de fibras vegetais (linho e lã) è teares manuais;
- religiosidade: os homens sao politeístas, isto é, adoram vários deuses como a natureza, o raio, o trovão, os astros etc;
- surgem os monumentos megalíticos (menires e dolmens), que eram grandes pedras fincadas no chão sustentando outras pedras gigantescas èinício das gigantescas construções que vão surgir com as civilizações seguintes.

3.  IdadedosMetais ou Metalurgia

-  de aproximadamente 5.000 até 4.000 a.C.;;

-  descoberta do uso de minérios como cobre, bronze e ferro;

-  surgem os primeiros centros urbanos com vários melhoramentos, isto é, as primeiras cidades-estados;

-  surgem pequenos reinos è com poder centralizado è domínio de uns sobre os outros => guerras è primeiros impérios e presença de escravos;

-  as civilizações procuram desenvolver-se perto dos grandes rios e vales;

-  impulso na agricultura, no comércio, na navegação (barcos a vela);

-  surge a escrita (na Mesopotâmia e Egito, p.ex.)  por volta de 4.000 a.C. => passagem da Pré-História para a História.

Fornalha Pré-Histórica encontrada no Parque Kruger, África.

Fornalha Pré-Histórica encontrada no Parque Kruger, África.

Civilizados X bárbaros:

“No século XIX, os estudiosos europeus acreditavam que a humanidade evolui em estágios sucessórios, iguais e obrigatórios a todas as sociedades, em seu caminho rumo à civilização. Essa convicção levou a considerar o outro, sobretudo o não-europeu, como bárbaro, atrasado, sem cultura e não-desenvolvido. Os principais desdobramentos desse pensamento, ao longo do século XIX, levaram à desconsideração e ao desrespeito de toda cultura que não a europeia, e deram margem para o desenvolvimento das empresas colonizadoras, que procuravam justificar seus objetivos, basicamente econômicos, afirmando que suas ações “civilizaram” e levaram o progresso aos povos que ainda se encontraram nos primórdios da evolução humana. A escrita estabeleceria, tanto no século XIX como para muitos ainda hoje, um domínio sem o qual não existiria cultura.” (Adaptado de: História: Caderno do Professor – Vide Bibliografia)

As fontes de conhecimento sobre a Pré-história:

Durante a Pré-história não havia documentos escritos. Por isso, os conhecimentos sobre esse período, só têm sido possíveis mediante um esforço conjunto de grande número de áreas de estudo. Diferentes contribuições conjugadas têm atuado para o conhecimento de um domínio ao qual só temos acesso por meio de vestígios. Um projeto interdisciplinar é uma tentativa de romper com contextos fragmentários e procurar ver o mundo de vários ângulos do conhecimento.
A esse tipo de conhecimento baseado no conjunto de várias áreas, damos o nome de conhecimento interdisciplinar, isto é, o recurso que representa inter-relação de conhecimentos de diferentes áreas, na prática de determinado campo de estudos. Ou seja, há uma interlocução colaborativa entre as diferentes áreas do conhecimento.
Pintura Rupestre – Caderno do aluno, Op. Cit, pág. 15
 
As principais disciplinas que cooperam entre si para um estudo da Pré-história, a partir de uma pintura rupestre, por exemplo, podem ser, entre outras:
=>  a Geografia, ciência social que estuda as relações do homem com o meio físico;
=>  a História, ciência social que analisa e interpreta os documentos;
=>  a Química, ciência exata que coopera a partir da datação e composição de documentos;
=> a Arqueologia, disciplina científica que estuda as culturas e os modos de vida do passado pela análise dos vestígios de materiais;
=> a Antropologia, disciplina que estuda os vestígios deixados pelas civilizações passadas, como sistemas pictóricos e simbólicos;
=> a Paleontologia, ciência que estuda os fósseis;
=> a Cronologia, que estuda as divisões do tempo;
=> a Epigrafia, que estuda escritos antigos;
=> a Numismática, que estuda as moedas, etc.
=> a Sociologia, que estuda as relações humanas em sociedade;
=> a Genealogia, que estuda o grau de parentesco – desde o mais remoto ascendente até os últimos descendentes;
Todas essas ciências se auxiliam, mutuamente, na compreensão mais elaborada de uma pintura rupestre, ou modo de vida dos povos pré-históricos, compreensão essa que dificilmente poderia ser alcançada por qualquer uma dessas disciplinas isoladamente.

 

Fonte:

-  Apostila do Professor Alcides.
-  Bassil Escola: http://www.brasilescola.com. Acesso em 29/01/2013.
-  Caderno do aluno e do professor. História, Ensino Médio – 1ª série, Vol. 1. SEE-SP, 2009.
-  www.wikipedia.org. Acesso em 28/01/2013.
———————————————————————————————

Exercícios => Questões do Caderno do Aluno:

1.  (Página 3, questão 1) Como pode ser entendida a convivência entre seres humanos e animais pré-históricos apresentada em desenhos animados e filmes?

2.  (Página 3, questão 2) De que maneira podemos explicar a historicidade do conceito de Pré-história analisando binômios como: agravos e letrados; bárbaros e civilizados; atrasados e desenvolvidos?

3.  (Página 5, questão 1) Qual o significado do conceito Pré-história? Para responder a essa questão observe, principalmente, os dois termos que compõem o conceito.

4.  (Idem, questão 2) Que períodos compreendem a Pré-história? A partir de qual período se data o aparecimento do homem?

5.  (Página 6 e 7) Colar duas imagens que representem modos de vida da Pré-história…

6.  (Página 8 e 9) Caracterize Nomadismo e Sedentarismo.

7.  (Página 9 e 10, questão 1 ) Ao tratar da emergência da ideia de “raça” no século XIX, Lilia Moritz Schwarcz afirma:

“Civilização e progresso, termos privilegiados da época, eram entendidos não enquanto conceitos específicos de uma determinada sociedade, mas como modelos universais. Segundo os evolucionistas sociais, em todas as partes do mundo a cultura teria se desenvolvido em estados sucessivos, caracterizados por organizações econômicas e sociais específicas. Esses estágios, entendidos como únicos e obrigatórios – já que toda a humanidade deveria passar por eles – seguiam determinada direção, que ia sempre do mais simples ao mais complexo e diferenciado. Tratava-se de entender toda e qualquer diferença como contingente, como se o conjunto da humanidade estivesse sujeito a passar pelos mesmos estágios de progresso evolutivo.” (SHWARCZ, Lilia Moritz.O espetáculo das raças, Instituições e questão racial no Brasil – 1870-1930. São Paulo: Companhia das Letras, 2001. P. 57-8).

À luz deste enunciado e dos conteúdos ministrados, analise o conceito de Pré-história.

8. (Página 10, questão 2) Os períodos compreendidos pela Pré-história podem ser associados à seguinte sequência:

a)   Neolítico, Paleolítico e Idade dos Metais.
b)   Paleolítico, Neolítico e Idade dos Metais.
c)   Era primária, secundária, terciária e quaternária.
d)   Paleolítico, Idade dos Metais e Neolítico.

9.  (Página 10, questão 3) Quanto aos opostos binários, ágrafos e letrados, bárbaros e civilizados, e atrasados e desenvolvidos, é correto afirmar:

a)   São adjetivos que representam o que foram os habitantes da Pré-história e como são, hoje, os habitantes do mundo moderno.
b)   Dizem respeito ao fato de que, na Pré-história, havia pessoas que não escreviam e outras que escreviam, algumas que eram bárbaras e outras civilizadas, além daquelas que eram atrasadas em relação a outras que eram desenvolvidas.
c)   São criações dicotômicas desenvolvidas, principalmente, a partir do século XIX, e que expressam o pensamento científico na Europa nesse período.
d)   Esses termos são designados para fazer referência a agrupamentos humanos do Paleolítico e do Neolítico.

10. (Página 10, questão 4) Considerando o texto a seguir, é correto afirmar que:

“O nosso século, ao questionar um pouco mais a sabedoria do homem contemporâneo, passou a se situar mais humildemente diante de nossos ancestrais. Escavações sistemáticas e cuidadosas revelaram, inicialmente, que o hominídeo originava-se da África e não da Europa, contestando a certeza que se instalara entre os sábios europeus. De repente, os ocidentais ‘civilizados’ passaram a se perguntar a respeito dos ‘primitivos’. Seriam eles tão ‘primitivos assim’?” (PINSKI, Jaime. As primeiras civilizações. São Paulo: Contexto … p. 34.)

a)   o século XX reconheceu que a África é mais civilizada que a Europa.
b)   escavações arqueológicas revelaram que o homem surgiu na Ásia.
c)   com os estudos recentes, os europeus descobriram que os africanos “não são tão primitivos assim”.
d)   os estudos que apontam para o surgimento dos hominídeos na África têm contribuído para uma reavaliação da dicotomia primitivos/civilizados.

11. (Páginas 17 e 18, questão 1) Com base na afirmação apresentada a seguir sobre a Arqueologia, reflita sobre o que se pode entender por conhecimento arqueológico interdisciplinar e qual sua importância para o estudo da Pré-história.

“A Arqueologia é um campo do conhecimento que cada vez mais caminha ao encontro do projeto interdisciplinar, especialmente no que se relaciona à realidade escolar. Um projeto interdisciplinar é uma tentativa de romper com contextos fragmentários e as várias maneiras de ver o mundo e conceber o conhecimento.”      (MACHADO, Neli T. Arqueólogo por um dia…).

 

12. (Página 18, questão 2) O recurso que representa a inter-relação de conhecimentos de diferentes áreas, na prática de determinado campo de estudos (Pré-história, por exemplo) é denominado:

a) multiculturalismo.          b) interdisciplinaridade.          c) interdiscursividade.          d) relatividade.

 13. (página 18, questão 3))  “A Arqueologia é uma ciência auxiliar da História. ”Sobre essa afirmação é correto considerar que:

a)  Está invertida; a História que é uma ciência auxiliar da Arqueologia.
b)  A Arqueologia coleta artefatos e a História os interpreta.
c)  Arqueologia e História são ciências independentes, mas que se conjugam interdisciplinarmente.
d)  A História já auxiliou a Arqueologia, mas hoje a situação é inversa.
 
alcides-amorim posted at 2013-1-30 Category: História | Tags:

2 Responses Leave a comment

  1. #2Anônimo @ 2013-6-9 17:15

    adoreiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiii muito bem explicado melhor impossivel obrigado …

  2. #1FATIMA LUCIA @ 2013-2-27 00:47

    nossa profe aqui tem asunto pro ano todo gostei muito cada dia vou ler um pouco pena que meu tempo tb não aguda muito mas vou lendo sou curiosa sobre essas coisa do passado